Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

11º Domingo do Tempo Comum


Dando continuidade ao tempo litúrgico, celebramos o XI Domingo do Tempo Comum. Grande destaque neste longo tempo, é o convite a nos associarmos à vida toda de Cristo, de tal forma que, contemplando sua missão, possamos também assumir a nossa. No anúncio do Reino de Deus, a sensibilidade não passa longe do coração de Cristo, que se faz próximo às pessoas em todos os aspectos, inclusive na pregação. Sabendo do que é essencial no anúncio, sabiamente se utiliza de parábolas, não de modo simplório, mas de modo catequético, a fim de sintonizar sua mensagem àquele povo sedento por uma palavra nova que lhes fizesse sentido e ressuscitasse sua esperança.

A imagem da semente, tão comum em nosso meio, como também era na época de Jesus, revela ao mesmo tempo a simplicidade e a grandiosidade dos mistérios de Deus. No sinal da semente lançada pelo trabalhador rural, na contemplação da luta diária, no crescimento das plantações, ali Jesus ilustra o tão sonhado Reino de Deus que, como semente, cresce e se torna grande. A missão de espalhar as sementes foi confiada pelo Senhor aos seus seguidores, fazendo com que eles pudessem participar da Missão do Filho de Deus. A participação humana na obra divina não é privilégio de alguns, mas compromisso de quem se coloca a serviço, sem interesses, com o coração disposto a trabalhar plantando a pequena semente do Reino. Na grande árvore que surge da pequena semente de mostarda, vemos o Reino de Deus e a universalidade do Evangelho, Boa Nova a todos, para os que plantam, para os que cuidam e para os que colhem.

Entretanto, para que tal missão seja bem executada, nenhum discípulo conta com suas próprias forças, mas implora a Deus o socorro como rezamos a Oração do dia, na liturgia deste domingo: “Ó Deus, força daqueles que esperam em vós, sede favorável ao nosso apelo, e como nada podemos em nossa fraqueza, dai-nos sempre o socorro da vossa graça, para que possamos querer e agir conforme vossa vontade, seguindo os vossos mandamentos”. Deste modo, não nos colocamos como protagonistas ao lançar as sementes, mas permitimos que Deus se utilize de nós como instrumentos, e nós rezamos que Ele as faça crescer conforme a sua vontade.

Atualmente, não se poderia falar somente de um tipo de imagem, como a semente em ambiente rural, pois os cenários sociais são os mais plurais possíveis, e a ruralidade vai sendo deixada de lado. Aos discípulos de Cristo, uma urgência é conhecer seus ambientes e saber traduzir a mensagem do Evangelho, de forma que possa ser compreendido, seja no campo com o pequeno trabalhador, ou nas empresas de tecnologia, seja no contexto urbano, seja no contexto rural, no mundo real ou no mundo virtual. Missão árdua e desafiadora, e por isso recorremos, conforme a oração, ao socorro da graça divina. Neste caminho não estaremos sós, pois o Mestre estará conosco e, em nossa intimidade com Ele, nos fará entender os Mistérios do Reino. Trabalho e oração, nesse percurso, são fundamentos para uma eficaz missão.


Cleyton Weliton Fernandes - II da Etapa Configurativa (Teologia)


Arte: O Semeador - Van Gogh (1888)