Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

3º Domingo da Páscoa

Amados irmãos e irmãs em Cristo Jesus, a paz esteja convosco!

Celebramos o Terceiro Domingo da Páscoa contemplando o grande mistério pascal da ressurreição de Cristo Jesus. A liturgia de hoje nos convida à conversão e ao perdão que nascem da vitória de Cristo sobre o pecado e a morte. Ressurreição da qual somos testemunhas (At 3,15), cumprindo aquilo que Deus havia anunciado pela boca de todos os profetas: que seu Cristo haveria de sofrer (At 3,18). Sofrimento que não é o fim, mas o início de nossa salvação.

O Evangelho de hoje (Lc 54,35-48) relata Jesus que se apresenta aos apóstolos, enquanto estes escutavam o relato de como Cristo havia sido reconhecido ao partir do pão pelos discípulos de Emaús. Percebemos um grande espanto entre os apóstolos, afinal os relatos da aparição de Jesus, de certa maneira, mostram as dificuldades que os apóstolos sentiram em acreditar e em reconhecer Jesus após a ressurreição. Entretanto, esta dificuldade dos apóstolos em reconhecer Jesus faz parte do processo de crescimento pessoal da fé de cada um. Jesus reconhece a nossa limitação humana, e deseja que cada um possa pessoalmente reconhecer a veracidade de sua vitória sobre a morte. Cristo ao aparecer aos apóstolos deseja a paz a todos e de imediato mostra as marcas de sua crucificação: “Vede minhas mãos e meus pés: sou eu!” (Lc 24,39). O espanto dos apóstolos se mistura a um sentimento de alegria e surpresa, pois a Esperança voltou! Realmente Ele Ressuscitou!

Após este primeiro momento de Cristo com seus apóstolos, Ele revela o sentido profundo das Escrituras, abrindo a inteligência dos discípulos para que realmente compreendessem a realização da Palavra de Deus (Lc 24,45). Pois o cumprimento desta missão se dará a partir do anúncio e testemunho dos apóstolos. Portanto, em nome do Cristo Ressuscitado, será anunciado a todos os povos a conversão e o perdão dos pecados, através do testemunho de cada discípulo. “Vós sereis testemunhas de tudo isso” (Lc 24,48). Testemunho fiel dos apóstolos que anunciaram a Ressurreição de Cristo sem medo das consequências, como o martírio fiel de muitos.

Cristo Ressuscitou! O anúncio e missão dos apóstolos deve continuar! Nós devemos realmente ser verdadeiras testemunhas desta Ressurreição a exemplo dos apóstolos. Pois, aquele que “guarda a sua palavra, nele o amor de Deus é plenamente realizado” (1Jo 2,5a). Que a alegria do Cristo Ressuscitado seja a nossa força!


Seminarista Elias de Souza Flauzino - 1º Ano da Comunidade Teológica