Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

AGOSTINHO DE HIPONA, SANTO E DOUTOR DA IGREJA

Hoje, 28 de agosto, a Igreja celebra a memória de Santo Agostinho de Hipona. Seu nome era Aurélio Agostinho, nasceu em Tagaste aos treze dias de novembro do ano de 354. Foi o primeiro filho do casal Patrício e Mônica. Patrício era pagão e Mônica, cristã fervorosa que fora posteriormente também elevada as honras dos altares. A mãe de Agostinho sempre buscou educá-lo na fé cristã, porém, Agostinho preferia seguir os passos do pai e pouco se importava com a doutrina cristã. Mônica, tinha em seu coração um profundo desejo que se seu filho seguisse os caminhos de Jesus, contudo, soube ser paciente e esperar o tempo de Deus. Vendo que seu filho não se identificava ainda com a vida cristã, decidiu adiar o batismo do menino Aurélio, pois acreditava que ele poderia profanar o sacramento. Aos onze anos de idade, Agostinho fora estudar em Madauro, cidade vizinha de Tagaste, onde estudou literatura latina e se tornou ainda mais distante da vida cristã por conviver com as práticas e crenças do paganismo romano local. Sua juventude fora bastante conturbada e, embora tivesse recebido ensinamentos cristãos de sua mãe, Agostinho passou a seguir o maniqueísmo e tornou-se adepto da filosofia hedonista – que tinha por princípio o prazer como fim absoluto da existência humana. Aos dezessete anos de idade mudou-se para Cartago onde estudou retórica. Dois anos depois de estudar retórica em Cartago, uniu-se a uma mulher daquela cidade e gerou Adeodato, seu primeiro e único filho. O tempo passava e Mônica não perdia a esperança na conversão de seu filho, rezava incessantemente.

O jovem Agostinho era dono de uma brilhante inteligência, tornou-se um renomado professor de retórica, fundou uma escola no estado de Roma e fora também professor na corte imperial de Milão. Com o passar do tempo, Agostinho, frustrado com as divergências do maniqueísmo aproximou-se do ceticismo, que mais tarde igualmente o decepcionara. Agostinho conhece então Ambrósio de Milão, tendo como intensão inicial nada mais que ouvir a excelente retórica do bispo. Completos treze anos de relacionamento, separou-se de sua mulher e viveu várias experiências amorosas, no entanto, depois de uma constante busca pela Verdade e de muitas paixões, Agostinho, tocado pelas orações de Santa Mônica que começavam a sortir efeitos, paulatinamente se convencia pelo conteúdo das pregações de Santo Ambrósio. O Santo de Hipona se converte rendendo-se a Verdade do Evangelho, encontrando em Jesus, o que nenhuma corrente filosófica ou pessoa alguma pudesse lhe oferecer. Batizado em Milão, num Sábado Santo, pelas mãos de Santo Ambrósio, ele e seu filho Adeodato ingressam na vida cristã. Com sua conversão passa a escrever textos contrários ao Maniqueísmo, obras que posteriormente o fazem Doutor da Igreja.

Com a perda prematura de seu filho Adeodato e muito abatido o Santo decide regressar a suade terra natal, Tagaste, faz opção pela vida religiosa e junto a uns amigos funda uma comunidade monástica e escreve a próprio punho suas regras. Daí surgiram muitas ordens e congregações religiosas masculinas e femininas que seguiam e seguem as regras e a inspiração "Agostiniana".

O bispo de Hipona, percebendo o ardor Agostinho no seguimento de Cristo bem como a inspiração de Divina que nele habitava propõe que juntos anunciassem a Boa Nova de Cristo. É ordenado sacerdote pelo mesmo bispo de Hipona, a quem sucedera como bispo em 397, após seu falecimento. Durante trinta e quatro anos o bispo Agostinho dedicou-se ao anúncio do Evangelho exalando sua santidade, inteligência e sabedoria nas pregações, nos escritos, no serviço aos mais necessitados e na profunda espiritualidade. Combateu diversas heresias de sua época tornando-se um dos mais importantes teólogos e filósofos da Igreja, cujas obras são ainda hoje grande influência para pensadores. Após sua experiência com Deus, com fortes atitudes de conversão, demonstra amor, força e vigor no anuncio do Reino e como nos recorda Mateus: "O reino dos Céus também é como um comprador que procura pérolas preciosas. Quando encontra uma pérola de grande valor, ele vai, vende todos os seus bens e compra aquela pérola" (Mt 13, 45-46), assim também ele foi capaz de

deixar tudo para traz ambições, prazeres, dúvidas, crenças dualistas, apostando sua vida no bem mais precioso de todos: Deus.

Aos vinte e oito dias de agosto do ano de 430, Agostinho realizou sua páscoa, deixando em Hipona uma Igreja fortalecida em meio a sofrimentos e perseguições. Merecidamente fora elevado a honra doa altares e proclamado Santo e Doutro da Igreja. Seus restos mortais foram depositados na cidade de Pávia, Itália, na igreja de São Pedro do Céu de Ouro, localizada próximo ao local da sua conversão.

Que Santo Agostinho, hoje e sempre interceda por nós e que a seu exemplo sejamos sempre instrumentos do Senhor levando aos nossos irmãos e irmãs o anúncio da boa nova de Cristo.


DANIEL AGUIAR DE OLIVEIRA FIRMINO.

I ANO DA ETAPA DISCIPULAR – FILOSOFIA.