Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

JOSÉ, PAI AMOROSO E COMPROMETIDO COM SUA MISSÃO

Em 08 de dezembro de 1870, o Beato Pio IX declarava São José como Padroeiro da Igreja Católica, mais tarde, o Venerável Pio XII chama-o de Padroeiro dos operários e São João Paulo II como Guardião do Redentor, alguns devotos invocam-no como padroeiro da boa morte.

Falar sobre o pai adotivo de Jesus é algo que nos convida a repensar nossa história, uma vez que este homem largou todos seus planos e com coragem assumiu junto a Maria os propósitos de Deus. Mesmo em meio a grandes dificuldades, São José, assumiu fielmente o desejo de Deus Pai e assume a paternidade de Jesus Cristo.

Humilde carpinteiro, chamado por Deus para fazer parte do plano salvífico da humanidade, São José assim foi ter-se com Maria, depois de sonho profético, conforme lemos no Evangelho de Mateus, (Mt 1, 20-25). Aclamado por muitos como padroeiro dos operários, aquele que depois do Filho e da Mãe, sempre se dispõe a atender nossas suplicas.

São José foi um pai que muito amou seu filho e muito o ensinou no ofício da carpintaria, não se absteve de ensinar Jesus às coisas do alto, mesmo sem entender que aquele menino se tratava do próprio Deus. Foi obediente aos desejos do Pai, como podemos reler São João Crisóstomo, “colocou-se inteiramente ao serviço do plano salvífico”, motivo este que muitos a ele suplicam para alcançar graças.

Nas suas poucas aparições na Sagrada Escritura, é notório vermos o quanto São José se dedicava na paternidade de Jesus. Ele, descendente da casa de Davi, ao qual havia promessa de ser um bom homem, São José verdadeiramente fez valer sua descendência e muito fez. Não é atoa que ouvimos a velha expressão “ite ad Joseph” (Ide a São José), pois ele se encontra de braços abertos a nos receber.

Portanto, que neste ano dedicado a este pai amoroso, que sempre se encontra de braços abertos para escutar nossas súplicas e necessidades, que ensinou ao menino Jesus as coisas deste mundo, que assumiu verdadeiramente o chamado de Deus para o projeto salvífico da humanidade e que foi um exemplo de esposo e pai junto a Virgem Maria, que possamos sempre nos recorrer a ele e pedir sua intercessão para que alcance as graças que mais necessitamos. Que o pai da Sagrada Família de Nazaré nos cubra com as bênçãos do céu e que possamos sempre nos lembrar de recorrer a este pai caridoso em nossas dificuldades.


Seminarista Brendo Waleu Silva - 2° ano da etapa discipular.