Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

O Coração Sagrado de Jesus

A devoção ao Sagrado Coração de Jesus se deu a partir das experiências místicas de Santa Margarida Maria Alacoque nos anos de 1673 a 1675 na França. Jesus lhe apareceu três vezes e, em uma das ocasiões disse: “Vede Margarida, o coração que tanto amou o mundo e que recebe tanto desprezo”. A monja se encarregou de divulgar os desejos do Coração de Jesus. E com a ajuda de seu diretor espiritual, pôde discernir as aparições e as mensagens que recebeu de Jesus. Dentre as formas de devoção divulgadas por Santa Margarida, as principais são: a “Hora de presença” e “as 12 promessas do Sagrado Coração de Jesus”.

A Solenidade do Sagrado Coração de Jesus foi instituída em 1856 pelo Papa Pio IX, duzentos anos após a aparição, e é celebrada na sexta-feira após a Solenidade de Corpus Christi. A mensagem que Jesus proferiu a Santa Margarida é ainda atual para o mundo, pois Jesus não se cansa de mostrar seu coração ferido e desprezado por aqueles que não creem e não buscam a conversão sincera do coração. O Evangelho que refletimos hoje, nos relata a cena em que Jesus após morrer na cruz é transpassado por uma lança que abre seu lado direito, dali jorram sangue e água e também nasce a Igreja, do coração transpassado.

Hoje, “Dia Mundial de Oração pela Santificação dos Sacerdotes” que é celebrado todos os anos na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, também somos convidados a rezar por todos os sacerdotes, afim de que se sintam encorajados a refletir o dom do sacerdócio e continuem apascentando o rebanho do Povo de Deus segundo o coração de Jesus: “Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração...” (Mt 11,29).

Por fim, diante de uma realidade tão delicada que estamos vivendo, somos chamados a depositar toda nossa confiança em Jesus, no seu Sagrado Coração, afim de que possamos passar esse tempo de trevas no contexto pandêmico. Os nossos corações se elevam em prece juntamente com todos aqueles que enfrentam a dificuldade da pandemia e da doença da Covid-19, unamos os nossos corações juntamente com aqueles que sofrem a perda de seus entes queridos e principalmente, unamos nosso coração ao Sagrado Coração de Jesus a fim de que encontremos alívio e descanso “... e achareis o repouso para as vossas almas, porque meu jugo é suave e meu peso é leve” (Mt 11, 30).

Israel Filipe Silva - Primeiro Ano da Comunidade do Discipulado - Filosofia