A dimensão intelectual da formação

No horizonte de uma formação integral de novos presbíteros, a Igreja propõe a dimensão intelectual da formação como um lugar proeminente no processo formativo, que deve propiciar a preparação de bons pastores para a Igreja e o povo de Deus. A formação intelectual, segundo o Papa São João Paulo II, na Pastores dabo vobis (n. 51), “configura-se efetivamente como uma exigência irreprimível da inteligência pela qual o homem ‘participa da luz da inteligência de Deus’ e procura adquirir uma sabedoria que, por sua vez, se abre e orienta para o conhecimento e a adesão de Deus”. Essa motivação marcadamente pastoral vai ao encontro da própria exortação bíblica para que sejamos capazes de dar razões de nossa esperança (cf. 1Pd 3,15), o que se torna ainda mais urgente e necessário na atualidade, quando experimentamos uma verdadeira mudança de época com inúmeros questionamentos e desafios apresentados à nossa fé.

 

No que tange ao ensino de filosofia, os documentos da Igreja (e, em particular, os da CNBB) insistem na importância da formação filosófica, não somente como mero requisito necessário para o ingresso no curso de teologia, mas como momento necessário de habilitação para a compreensão do homem, do mundo e das realidades transcendentes; de exercício do diálogo com as mais diversas realidades, ciências, tendências e correntes de pensamento; e de desenvolvimento da capacidade de reflexão e de análise crítica da própria história. Por isso, não se pode negligenciar, sem prejuízo à caminhada pastoral e evangelizadora da Igreja, tal etapa da formação.

 

Sendo assim, com o intento de oferecer uma formação filosófica adequada e qualificada aos seus formandos, a Diocese da Campanha conta com o Instituto Filosófico São José, instância do Seminário Diocesano Nossa Senhora das Dores responsável pela realização do curso de Filosofia. Embora tal curso não conte ainda com o reconhecimento civil do Ministério da Educação, o Instituto propicia aos estudantes um ensino filosófico com carga horária e organização curricular conforme as orientações da CNBB, o que em muitos aspectos supera as exigências mínimas do MEC. O corpo discente é bastante diferenciado, por se tratar de um grupo formado por rapazes desejosos de abraçar o ministério presbiteral, mostrando-se sempre muito abertos e desejosos de construir um sólido conhecimento. Os docentes, escolhidos de acordo com critérios da própria Igreja, são padres, leigos e leigas engajados, muito comprometidos com a partilha do saber filosófico e com o desejo de formar “homens para a pátria e sacerdotes para a Igreja” (conforme adágio inscrito na placa junto à entrada principal do Seminário Nossa Senhora das Dores, em Campanha). Ao longo de sua caminhada, o Instituto vem se adaptando às novas realidades, realizando várias modalidades de extensão e se empenhando, mesmo com todas as limitações, para se estruturar como um curso de qualidade.

 

Ao comemorar os 110 anos de história de nosso Seminário Diocesano, rogamos ao Bom Deus que sempre nos inspire com a luz do seu Santo Espírito e o auxílio da Virgem Maria, Sede da Sabedoria, para que o Instituto Filosófico São José ofereça um ensino de excelência aos nossos seminaristas e, a seu modo, contribua para a santificação dos homens e maior glória de Deus.

 

Pe. Carlos Henrique Machado de Paiva

Coordenador do Curso – Instituto Filosófico São José