Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

BANDEIRANTE DE CRISTO E APÓSTOLO DA CARIDADE

Hoje a Igreja celebra a memória de Santo Antônio de Sant'Ana Galvão, primeiro brasileiro proclamado Santo e elevado às honras dos altares. Antônio de Sant'Ana Galvão nasceu na cidade de Guaratinguetá, SP. Seu pai era português e sua mãe brasileira, ambos gozavam de uma vida financeiramente estabilizada e também eram cristãos fervorosos. A desejo do pai, o jovem Antônio ingressou no seminário aos seus treze anos de idade, a fim de obter uma formação humana e cultural.

No seminário da ordem dos jesuítas Antônio pôde aprofundar-se mais na fé e nos estudos. Aos vinte anos de idade decidiu ingressar no noviciado da Província Franciscana da Imaculada Conceição, Convento de São Boaventura do Macacu, Capital do Rio de Janeiro. Estudou filosofia e teologia, aprimorando assim o seu discipulado.

Ainda jovem fora ordenado sacerdote e em 1774, fundou o recolhimento de Nossa Senhora da Conceição da Divina Providência, atualmente, Mosteiro da Imaculada Conceição da Luz. Sua vida ministerial consistiu em viver a caridade, não mediu esforços para aliviar os sofrimentos dos mais necessitados. Povos de toda parte se achegavam a ele à fim de encontrar nele o consolo de Deus e o alivio dos sofrimentos.

Com carinho e dedicação formou as religiosas do Mosteiro da Luz, que por ele foi fundado. Seus ensinamentos apontam para uma vida de espiritualidade, mas sobretudo para a caridade e o modo como deve ser vivida a vida consagrada, também a forma como deve-se acolher e tratar tanto as pessoas do recolhimento, quanto aquelas que estão fora.

Frei Galvão, como é popularmente conhecido, faleceu aos vinte e três dias de dezembro de 1822. Fora beatificado pelo então São João Paulo II em 25 de outubro de 1998 e proclamado Santo pelo Papa Bento XVI em 11 de maio de 2007. Em vida já trazia consigo a fama de santidade e foi chamado "Bandeirante de Cristo" por tem em seu coração a grandeza e fortaleza de um verdadeiro bandeirante. Deixou tudo para trás a fim de servir a Deus e com seu espirito de caridade não hesitou em aliviar os sofrimentos dos irmãos. Um ato devocional muito conhecido é o ato de ingerir a pílula de São Frei Galvão. Este ato deve-se ao fato de que algumas vezes o Santo dava à algumas pessoas um pequeno papel dobrado com os seguintes escritos: “Post partum Virgo inviolata permansisti, Dei Gentitrix Intercede pro nobis”. E assim, alcançavam de Deus a cura que tanto necessitavam.

Que São Frei Galvão interceda por nós e nos ajude cada mais a exercitarmos a nossa fé e o exercício de caridade em prol dos sofrimentos alheios.

Daniel Aguiar de Oliveira Firmino.

Primeiro ano da etapa do discipulado – Filosofia.