Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

“Fazei tudo para a glória de Deus” (1Cor 10, 31)


“Jesus cheio de compaixão estendeu a mão tocou nele e disse: Eu quero, fica curado” (Mc 1, 41). O evangelho de hoje chama-nos a atenção para que tenhamos uma atitude compassiva com aqueles que sofrem. Por diversos motivos e circunstâncias, inúmeras vezes agimos com indiferença, pois o nosso coração anestesiado pela cultura do individualismo só nos leva a pensar no nosso bem estar e dessa forma não vivemos como Jesus, ou seja, “fazendo tudo para a glória do Pai”.

É interessante pararmos diante do sentimento e da atitude de Jesus, o Verbo Encarnado, porque, mediante a primeira leitura, parece ser um Deus diferente: O imutável mudou? Aquele que decretou o isolamento do leproso agora se compadece e toca para curá-lo?

Sim! É o mesmo Deus e Senhor que revela-nos sua face de amor e misericórdia e mostra-nos que ao se encarnar sente o sofrimento e a exclusão por parte dos nossos preconceitos. O que seria um isolamento para cura tornou-se um modo de exclusão e humilhação: é isso que o Senhor quer curar do nosso meio, porque não quer ninguém excluído.

Diante desse momento em que vivemos, o Senhor toca em nossos corações para a compaixão com aqueles que mais sofrem com esse mal. Que todos os que precisam ficar isolados para se tratar sejam contemplados com as orações e atitudes que estejam ao nosso alcance. E que esses nossos irmãos e irmãs possam salmodiar dizendo: “Senhor, sois para mim, alegria e refúgio”.

Aos cuidados de Maria, Mãe de Deus, consagremos nossos corações e nossas ações, pedindo a ela que nos alcance do Bom Jesus a graça de sermos compassivos como Ele.

Maycon Lucas dos Santos

3º ano da Etapa Configurativa