Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

JOSÉ, HOMEM DO SILÊNCIO E AMOROSO PAI

Quem dera se a humanidade seguisse fielmente o exemplo, o carinho e o amor paternal de São José. Na sagrada escritura não há se quer uma palavra dita por ele, porém há ações que são verdadeiros exemplos a serem seguido por muitos maridos que temem a Deus e juram fidelidade a sua esposa. Mais do que um pai de coração, um amigo! Assim devemos olhar para São José; o homem do silêncio, mas que falou e orientou Jesus, o homem contemplativo que, ao ver o mundo criado por seu Deus, soube educar sua família ao bem, o homem do discernimento, que não pensou muito para cumprir a vontade de Deus que falava em gloriosíssimos sonhos. Não olhemos para esse homem como um simples carpinteiro ou um mero pai adotivo que criou o Filho de Deus, mas como um pai humilde e virtuoso, sem sombra de dúvidas um amigo de caminhada.

A vida virtuosa na qual viveu José, fez dele um homem sábio diante de Deus e deu-lhe muita experiência de servidão e humildade; quanto mais José era humilde para com o próximo e submisso a Deus, tanto maior era a sua sabedoria e serenidade. Viandante José, corajoso, destemido, enfrentou a fúria dos homens e tomou sua esposa Maria e partiu para seu êxodo. Nada se conta a respeito da adolescência de Jesus, porém como no início de tudo, sabemos que José teria conduzido o seu menino Deus ao caminho da verdade, da paz e do amor.

Em todos os momentos oracionais, clamemos a gloriosa intercessão de São José sobre todas as vocações, sobre os nossos irmãos falecidos para que, rogue a Deus pela salvação das almas. Todavia, como Maria em sua juventude depositou sua confiança em José, devemos repetir o mesmo, pedir as virtudes deste Santo homem, aquele que teve à graça de pegar Jesus em seus braços, teve a honra de ver o Filho de Deus engatinhar, andar, falar, sorrir, brincar e crescer, até sua gloriosíssima Páscoa, onde esteve ao seu lado segurando suas mãos Maria e Jesus. Recorramos a São José em todos os momentos, implorando a sua poderosa intercessão; “...Ó Bem-aventurado José, mostrai-vos pai também para nós e guiai-nos no caminho da vida. Alcançai-nos graça, misericórdia e coragem, e defendei-nos de todo o mal. Amém”.


Rafael Fernando Figueiredo - 2º ano da etapa do discipulado - filosofia