Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

NA BARCA DO CRISTO SENHOR, NAVEGUEMOS COM MARIA DE ESPERANÇA EM ESPERANÇA

Celebramos hoje, dia 8 de dezembro, a Solenidade da Imaculada Conceição de Maria. Esta data nos recorda um dos dogmas marianos, proclamado em 1854 pelo Papa Pio IX com a bula Ineffabilis Deus: “nós declaramos, proclamamos e definimos que foi revelada por Deus a doutrina, segundo a qual a beatíssima Virgem Maria, ao primeiro instante de sua conceição, foi preservada incólume de toda mancha de pecado original, por causa de especialíssimo privilégio de graça do Deus onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, o Salvador do gênero humano, e portanto, deve ser sólida e constantemente crida por todos os fiéis”.

A partir da leitura com os olhos da fé da Igreja, vê-se que o anúncio do anjo Gabriel “Alegra-te, cheia de graça” (Lc 1, 28), nos mostra Maria repleta da graça de Deus e sem a mácula do pecado original, não pelos seus méritos, mas sim pelos méritos de seu Filho Jesus Cristo. Se outrora Eva se deixou levar pelas tentações do mal, a Virgem Maria nos revela que podemos, a partir da graça de Deus, ser merecedores do Eterno Reino.

Mesmo sendo concebida sem a mancha do pecado original, Maria não se tornou isolada do resto da humanidade, todavia nos mostra que podemos diariamente configurar a nossa vida à vida do próprio Cristo Jesus.

No Brasil, a forte devoção à Imaculada Conceição é vista na imagem de Aparecida, que há mais de 300 anos foi encontrada no Rio Paraíba e, então, proclamada Rainha e Padroeira do Brasil. Em Maria se espelha a beleza de Deus em Jesus Cristo, a qual também se manifestou em cada um de nós pelo batismo. Logo, a Virgem de Nazaré é o ícone da humanidade reconciliada consigo mesma. Na Imaculada Conceição nota-se a ausência do pecado e a presença da graça, ou seja, o desejo de Deus para seus filhos. Na Imaculada Conceição está também o destino profético da Igreja: ser “sem mancha, nem ruga, ou coisa semelhante, mas santa e irrepreensível” (Ef 5, 27).

Portanto, vivendo em meio as tempestades do mundo, naveguemos com Maria, de esperança em esperança, na barca de Cristo, a fim de que com sua proteção possamos vencer todos os males e perigos da vida.


Igor Sudério Abreu

2º ano da etapa do Discipulado - Filosofia