Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

Nossa Senhora Aparecida, a Mãe dos brasileiros

Hoje, todo o Brasil canta louvores aos céus, celebrando não somente o dia daquela que é a Rainha e Padroeira de toda a nação brasileira, mas lembrando-se especialmente daquela que é Mãe de cada brasileiro, a Senhora Aparecida. Qual seria o filho que não se alegria ao lembrar o dia de sua mãe, daquela que lhe deu a vida? É esse o sentimento de profunda alegria que brota no coração de cada brasileiro hoje, o sentimento de lembrar daquela que é a mãe de Jesus, o filho de Deus, e nossa própria mãe.

O carinho por Nossa Senhora Aparecida é tamanho que, em 08 de setembro de 1904, a pequenina imagem de manto azul anil, encontrada no Rio Paraíba em 1717, foi solenemente coroada, o que simbolizava o reconhecimento de todo um país da realeza daquela que se fez pequena diante de Deus. Ainda, em 16 de julho de 1930, O Papa Pio XI proclamou a Nossa Senhora Aparecida como padroeira do Brasil para promover o bem espiritual dos fiéis e para que aumentasse cada vez mais a devoção à Imaculada Mãe de Deus.

Como explicar tamanha ternura do brasileiro pela mãe de Deus, a qual é carinhosamente invocada como Mãe Aparecida? Por ter aderido livremente e realizado plenamente a vontade divina em sua vida, Maria mostra-nos que o caminho para a nossa salvação é o seu filho Jesus. Toda a sua vida pode ser vista como um hino de louvor a Deus, pois em tudo ela realizou a vontade do Altíssimo. E mais, como mãe que é, Maria também nos ensina que o segredo para também hoje cantarmos um hino de louvor a Deus é justamente realizamos e fazemos em nossas vidas tudo aquilo que seu filho Jesus nos disser (Jo 2, 5). Ou seja, Maria é tão querida por ser modelo fiel de fé e de obediência à Palavra de Deus, pois ela soube ouvir e colocar-se disponível diante do Senhor. É essa mesma postura de disponibilidade total a Cristo que ela nos ensinar a ter ao disser “fazei tudo o que ele vos disser” (Jo 2, 5).

Olhar para Maria hoje significa encontrar aquele amor materno que não deixa nenhum de seus filhos ser tomado pelo medo ou pelo desespero. Mesmo diante da atual realidade assustadora em que mais de 600 mil vidas foram ceifadas por conta da Covid-19 e da falta de prudência e cuidado de alguns, ao observar os olhos e o exemplo de vida Maria, hoje vemos acima de tudo a esperança. Esperança por que tem-se a certeza de que diante da Mãe Aparecida, ela oferece o consolo necessário a todos os familiares que

sofreram com a perda de um ente querido. Esperança por que também ela é mãe que nos

ensina a amarmos e querer bem o próximo, não sendo indiferente as suas dores, mas que caminhemos apressadamente para ajudá-lo, assim como ela fez ao se dirigir apressadamente e sem medir esforços a casa de sua prima Isabel para ajudá-la.

Enfim, temos infinito amor e carinho por Maria, a Mãezinha de Aparecida, porque ela é verdadeiramente a mãe de Deus e nossa e por que ela é a que melhor nos ensina que são felizes aqueles que ouvem, vivem e praticam de maneira dócil a palavra do Senhor, da qual nasce um compromisso de amor ao próprio Deus e aos irmãos. Bendito seja Deus pelo nome de Maria, a Senhora Aparecida. Bendito seja por seus filhos que hoje elevam os mais festivos louves aos céus pela intercessão da Mãe sempiterna, a Senhora Aparecida!

Adielson Martins - 3º ano da etapa do discipulado - filosofia