Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

Nossa Senhora de Guadalupe, mãe dos humildes e necessitados

A Santa Igreja celebra no dia de hoje a Festa de Nossa Senhora de Guadalupe. Segundo a Santa Tradição, em 1531 no México, a Bem-aventurada Virgem de Guadalupe apareceu a Juan Diego, um índio asteca que se converteu ao cristianismo. Neste período reinava no México uma onda de violências e, sobretudo, de contínuas violações contra a dignidade humana. A população indígena era a que mais sofria graves discriminações.

A Bem-aventurada Virgem escolheu Juan Diego como seu mensageiro. O homem relatou que Nossa Senhora lhe pediu para construir um Santuário naquele lugar. O Bispo não acreditou nas suas palavras, afinal, por que a Santíssima Virgem Maria apareceria a um humilde homem? Desta maneira, no dia 12 de dezembro de 1531, Nossa Senhora fez nascer, naquele terreno e em pleno inverno, rosas perfumadas. Juan Diego as colheu e as colocou no seu manto, pois desta maneira o bispo acreditaria em tal milagre. Quando o humilde mensageiro abriu o manto diante do Bispo, para mostrar as flores, apareceu, no tecido, a imagem de Maria, representada como uma jovem indígena.

Em 1754 o Papa Bento XIV confirmou o patrocínio da Virgem de Guadalupe sobre toda a Nova Espanha (do Arizona à Costa Rica) e concedeu a primeira Missa e Ofício próprios. O próprio Bento XIV escreveu: "Nela tudo é milagroso: uma Imagem que provém de flores colhidas num terreno totalmente estéril, no qual só podem crescer espinheiros; uma Imagem estampada numa tela tão rala que, através dela, pode-se enxergar o povo e a nave da Igreja tão facilmente como através de um filó; uma Imagem em nada deteriorada, nem no seu supremo encanto, nem no brilho de suas cores, pelas emanações do lago vizinho que, todavia, corroem a prata, o ouro e o bronze... Deus não agiu assim com nenhuma outra nação.”

A veneração da Virgem de Guadalupe desperta em nós grande confiança filial, ademais, nos impele à prática da caridade cristã, ao demonstrar a predileção de Maria pelos humildes e necessitados. O Papa Francisco, na festa de Nossa Senhora de Guadalupe de 2019, disse: “Maria é "mulher", "mãe" e "mestiça". Ela se mestiçou para ser uma só com a humanidade”. Em Guadalupe a celestial visão nunca cessa. Junto a essa presença maternal, cada devoto experimenta a inocente simplicidade e o doce aconchego de filho amoroso. Nossa Senhora de Guadalupe hoje intercede por toda América Latina, e hoje recorremos à sua materna intercessão!

Nossa Senhora de Guadalupe, rogai por nós!


Seminarista Elias de Souza Flauzino