Buscar
  • Seminário Nossa Senhora das Dores

“O sangue dos mártires é a semente dos cristãos”

O dia 20 de janeiro é marcado pela memória de um dos santos mais venerados pela Igreja. Em vários lugares do mundo, particularmente no Brasil, são muitas as comunidades dedicadas ao glorioso Mártir São Sebastião.

Ao contemplarmos a história de vida desse santo, percebemos que o seu amor a Jesus Cristo prevaleceu e foi maior do que as perseguições dos poderosos de sua época. Por volta do ano 300, Sebastião ocupou um alto posto no exército do imperador Diocleciano. Naquele tempo, os cristãos eram perseguidos e impedidos de praticar o culto a Deus. Todavia, mesmo com esse ambiente de perseguição, o jovem soldado fora robustecido pela prática da fé e converteu-se ao cristianismo, tornando-se um defensor dos fiéis, sobretudo os mais fracos e indefesos.

Sebastião foi denunciado ao imperador, que ao descobrir os seus atos contrários àquilo que lhe era exigido, isto é, a perseguição dos fiéis cristãos, logo ordenou que ele fosse preso em uma árvore e tivesse o seu corpo atravessado por flechas. Porém, ele não morreu naquele primeiro momento, e a ele foi dada a oportunidade de negar a sua fé. No entanto, o jovem mártir recusou a prática de idolatria dos romanos e permanecendo convicto no seguimento a Jesus Cristo, foi mais uma vez martirizado, até que entregou a sua vida definitivamente aos braços do Pai.

Durante a sua vida, Sebastião procurava converter soldados e prisioneiros romanos. Pode-se dizer que a sua morte foi o sinal mais forte e visível para os convertidos de sua época e para aqueles que até hoje abraçam a proposta radical do Evangelho. Afinal, aqueles que morrem por causa de Jesus não são motivo de vergonha nem tampouco fraqueza, mas de confiança integral ao projeto salvífico do Pai.

Impulsionado pela fé em Jesus Cristo e guiado pelo Espírito que fortalece a missão da Igreja, São Sebastião abraçou a vontade de Deus em sua vida, derramou o seu sangue por causa do Evangelho e tornou-se uma semente que até hoje produz muitos frutos, isto é, novos cristãos para a Igreja e para o mundo.



Leonardo da Silva Rodrigues

1º ano da Etapa da Configuração - Teologia